A Mariana, a miserável, vive no Porto entre lápis, pincéis e papéis e
foi com ela que quisemos dar início a este novo lado do nosso blog, o
das entrevistas.

Um blog é um espaço de trabalho e a esse temos acesso sempre que
quisermos, o mesmo não se passa com o resto e, por isso, queremos
mostrar-vos onde trabalham as pessoas que admiramos, deixá-las
contarem-nos mais qualquer coisa sobre elas, sobre o trabalho e sobre os
seus dias.

A Mariana é uma dessas pessoas com um trabalho invejável, acreditamos que
as invejas saudáveis são uma coisa boa, que nos deixa sempre com
vontade de ver mais e mais. Conhecemos a Mariana no segundo blog que ela
teve, há alguns anos atrás, e foi amor à primeira vista. Hoje estamos todos no Porto, podemos
comer bolos e passear, e por isso foi só dar ali um saltinho e
trazer-vos imagens bonitas para verem.
O trabalho já não é o mesmo, as mudanças nestes últimos anos têm sido
muitas e boas, o normal para alguém que se dedica todos os dias ao que
adora fazer, a ilustração. Para quem não conhece o blog da Mariana
aconselhamos uma visita pelo arquivo, vale muito a pena ver tudo o que
ela tem feito.

Depois das imagens leiam as palavras da nossa querida Mariana, a
Miserável 🙂 

Apresenta-nos o teu espaço de trabalho.

O meu local de trabalho é um quinto andar amoroso com a melhor
varanda que conheço no Porto, onde posso desfrutar de sol durante todo o
dia(quando está sol). É uma sala de estar/escritório humildemente
mobilada com espaço suficiente para mim e para quem quiser fazer-me
companhia. O trabalho divide-se entre a secretária e a mesa de jantar
(quando os desenhos são maiores que A2) e o seu nível de arrumação é
proporcional à proximidade dos deadlines e ao meu caos mental. 

O teu dia começa quando?

Abro os olhos às sete e vinte da manhã, quando o despertador toca. E
depois vem a rotina: banho, vestir, comer, arrumar, limpar, gerir a
comunicação com o mundo da internet. Mas o dia só começa oficialmente
depois disto tudo, quando a cabeça está desperta e pronta para ter
ideias. Tendo isto em conta, há dias que custam a começar.

O quê que não pode faltar por aqui?

Eu não sou muito exigente, às vezes basta uma mesa, uma folha de papel e um lápis.
Pensando num cenário perfeito, não pode faltar material (pincéis,
tintas e papel de qualidade), comida (normalmente coisas que fazem mal),
som de fundo (música, televisão ou rádio), paz interior, inspiração e,
acima de tudo, motivação.

Em cima da mesa: chá ou café?

Se o café estiver em cima da minha mesa, certamente será para outra
pessoa, eu fico com o chá mas o hábito cá em casa é leite quente com
nesquik.

Para trabalhar: Beyonce ou Beirut?

Como se diz por aí  “always be yourself unless you can be beyonce” e
eu concordo mas prefiro deixar as “single ladies” para outras alturas por isso escolho coisas mais calmas como Beirut para trabalhar .

O Vergílio é inspirador ou um desastre no que toca à destruição de lápis e papéis?

Só tenho a companhia do Vergílio há dois meses e meio. Há dias em que
se revela um pequeno demo destruidor mas, na maior parte do tempo,
gosta do quentinho do meu colo enquanto desenho e isso é recíproco.

Preferes trabalhar sozinha ou “mal” acompanhada?

Normalmente prefiro isolar-me do mundo, sair de casa apenas para
comprar comida e só socializar com a funcionária da caixa do pingo doce.
Quando isso não funciona, eu procuro companhia porque às vezes mais
vale não forçar e deixar que as ideias surjam em ocasiões mais
improváveis.

Quem pode ocupar as paredes da Mariana?

Não é muito difícil, têm de ser pessoas cujo trabalho admire e
imagens/mensagens que me inspirem. Se eu pudesse comprar tudo o que
quero teria de comprar também uma casa com mais paredes.

Em termos profissionais, o quê que te falta fazer?

Quase tudo, porque há muitas coisas que quero aprender e considero
que essa maturidade vem com o tempo. E também porque há
pessoas/editoras/revistas com quem gostava de trabalhar e que até agora
ainda não surgiu a oportunidade ou ainda não foi o momento certo para o
fazer. Mas gostava de pintar um prédio, ilustrar um livro, ilustrar um jornal ou uma revista com regularidade, ter uma loja/atelier com amigos.

Vivias sem o teu blog? 

Tenho blog desde 2007, no tempo em que ainda se desconhecia o
facebook. Utilizei-o primeiro de uma forma mais pessoal, publicava
essencialmente textos meus. Mais tarde, quando terminei a licenciatura
(em 2008), senti a necessidade de ter um sítio onde pudesse partilhar o
meu trabalho. Aproveitei o espaço online e o pequeno grupo de leitores
que já tinha reunido(basicamente família e amigos) e avancei com o oblogfolio.blogspot.com.   Dois anos depois, tornei-me miserável e tive de mudar novamente de endereço para marianaamiseravel.blogspot.com. Hoje
em dia já tenho várias outras plataformas online mas acredito que cada
uma tem uma função e um público específico. Tento manter o blog arrumado
e actualizado e considero-o importante porque acaba por reunir de tudo
um pouco. Não o vejo tanto como portfolio profissional mas sim como uma
partilha mais pessoal daquilo que faço.


marianaamiseravel.blogspot.com
www.marianaamiseravel.com

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.