São muitos os sítios que têm pratos a decorar paredes, e engana-se quem acha que o hábito é de agora. Lembro-me de ser miúda e de ver vários pratinhos antigos, de serviços ingleses, espalhados por uma das paredes de casa da minha tia. Na casa da minha madrinha também havia loiça a decorar as paredes e, se na altura estas coisas tinham graça por fazerem parte daqueles sítios especiais, hoje acho que podem fazer sentido em mais sítios, desde que se encaixe no espaço.

Sempre quis ter um cantinho com pratos e já o arranjei cá em casa. Os meus não são antigos, foram comprados com semanas de intervalo, mas têm tudo a ver comigo e por isso saltaram para as paredes. Achei fazer mais sentido colocar na parede coisas que facilmente colocaria na mesa, do que comprar pratos antigos porque sim, e fazer só mais uma parede de pratos.

Para esta brincadeira só têm de ter pratos que queiram ver todos os dias, e aranhas compradas em qualquer loja de ferragens e custam uns cêntimos. Existem vários tamanhos para os diferentes pratos que possam ter. É fácil recriar uma coisa destas em casa porque os furos não têm de ter distâncias exactas e o acaso funciona muito bem.

Apesar de não adorar cozinhar, faço-o todos os dias, ou quase, às vezes costuma cozinhar o outro habitante, de duas patas, cá de casa. Os gatos só lá vão reclamar da vida, e pedir sempre mais comida. Acho que não tenho grande jeito para coisas novas, mas sei tratar os alimentos de acordo com a sua natureza, sei preparar uma refeição sem que ninguém saia da mesa a correr, e cada vez mais vivo a cozinha de outra forma, como uma coisa que tem de fazer parte de nós para vivermos bem, menos aborrecida, mais natural.

Se fizerem uma parede destas, em casa, mostrem-me o resultado!

Raquel

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.