Toda a gente sabe que o rapaz da cozinha é o Fred. É ele quem gosta de se perder por lá e de experimentar mil pratos novos. A minha maior motivação para ir para a cozinha é mesmo a questão de me alimentar. Sei que se cozinhar como melhor do que se comer fora e dá-me muito prazer encher os armários com coisas saudáveis que sei que vão dar-me muita energia.

Leio bastante sobre este tipo de coisas, vou experimentando sempre coisas novas, e banindo várias cá de casa. Há coisas que simplesmente não usamos, como o açúcar, sumos, batatas fritas (o óleo nem entra cá em casa), a minha querida Nutella também já foi proibida, e aos poucos vamos construindo uma base sem coisas más. Mas engana-se quem pensa que os doces não entram cá em casa. Fazemos panquecas imensas vezes, fazemos granola deliciosa e de vez em quando lá vêm croissants com o pão da rua. Só evitamos ter doces cá por casa porque assim comemos menos e fazemos os nossos. Deixamos as outras coisas para comer na rua, e assim reduzimos em muito o consumo de açúcar.
Hoje venho falar-vos de 3 coisas que estão sempre cá em casa, e que servem de substituição para outras que fazem menos bem.

ÓLEO DE CÔCO
Para além do azeite, precisava de outra gordura para fazer uma série de coisas mas o óleo, como já vos disse, cá em casa não entra. Um bom substituto é o Óleo de Côco. Posso dizer-vos que é com ele que fazemos panquecas e ovos estrelados, por exemplo.
O óleo de Côco é rico em antioxidantes, melhora o sistema imunitário e ajuda a reduzir o colesterol. Estas são só algumas coisas, não quero encher o post com indicações, mas vocês podem informar-se mais sobre ele. Vende-se nos supermercados, só verifiquem se estão a comprar um bom.

FARINHA DE ARROZ
O pão sempre foi daquelas coisas que sempre gostei de comer. Admito que às vezes exagero muito! Não metam um pão quentinho à minha frente e uma embalagem de manteiga, não penso duas vezes e como mais do que devia. A coisa sabe bem, mas a verdade é que estava muitas vezes mais indisposta, e as minhas suspeitas foram para a lactose ou o glúten. Nunca eliminei o glúten da minha alimentação, mas reduzi, e era mesmo por aí que queria ir.
Se já como farinha de trigo no pão (e esse também já não como tanto), opto por comprar farinha de outras coisas cá para casa, e que vou usando em vez das farinhas mais usadas.

A farinha de arroz é um bom exemplo, sem glúten, e mais leve para quem tem algum tipo de intolerância. Eu reduzi nas duas coisas, glúten e lactose, por isso não sei de onde vinha a minha indisposição sei que agora sinto-me melhor. No celeiro encontram várias farinhas, de arroz, de grão de bico ou de trigo sarraceno. Eu encontrei também no continente, a de milho e de arroz, e como o preço é bem mais simpático vale a pena pelo menos experimentarem.

CACAU PURO
Adoro chocolate! Mas aqueles que se vendem por aí têm pouca percentagem de cacau, que é a única coisa que dali nos faz bem. O cacau puro está cheio de magnésio, ferro e fósforo. Com ele fazemos chocolate quente no inverno, e polvilhamos coisas como a granola que vamos fazendo. É o sabor do chocolate mas com 0 culpas!
Também vamos comprando chocolate preto, com o máximo de cacau que conseguirmos, afinal diz que faz bem ao coração :p

Quem quer mudar de hábitos deve, na minha opinião, ir fazendo a coisa devagarinho, para que a mudança não cause desconforto. Não vale a pena querermos mudar logo tudo e falhar redondamente.
Nestas mudanças que fazemos, o paladar queixa-se sempre, porque estamos muito mal habituados aos açúcares e gorduras que ingerimos. Isso aconteceu-nos por exemplo com a manteiga de amendoim, que adoramos, mas quando provamos a 100% amendoim não gostámos nada. E é assim que percebemos o vício que o açúcar é na realidade. Depois de insistirmos e de deixarmos de comprar a outra, já gostamos desta e já adoramos comê-la mesmo à colherada. Pensem no vosso paladar como uma coisa que se treina, a vossa saúde agradece.

Cá em casa vamos tentando divertir-nos com o que experimentamos de novo, e aos poucos vamos mudando coisas. Estas foram algumas delas, também já vos falei da questão das sementes num outro post sobre granola, e de alguns hábitos saudáveis.

Eu adoro estas coisas e perco-me com elas na internet. E vocês, têm sugestões para nós?

 

5 respostas

  1. Desconhecia a farinha de arroz, vou experimentar. 🙂 Quanto ao óleo de coco, vale a pena acrescentar ainda que é o que aguenta melhor altas temperaturas não produzindo, ao contrário de todos os outros, substâncias que nos podem ser nocivas. Eu uso muito para preparar a grânola ou o muesli, porque se for ao forno necessita sempre de um pouco de óleo.

  2. Um tema que cada vez mais me interessa 🙂 Obrigado pela partilha e pelas dicas 🙂
    É sempre bom estas informações 🙂 E sim, acho que temos de ser "reeducados" na alimentação 😉
    Um já utilizo pouco óleo lá em casa, tenho de experimentar o óleo de coco 🙂

  3. Sugestões deliciosas: bulgur, quinoa, couscous… Adoro como acompanhamentos e, ou em saladas. Ahhhh e agora comprei farinha de alfarroba que diz que faz uns bolos de chocolate sem chocolate, deliciosos! 🙂

  4. Ahhhh e, passado a publicidade, apenas querendo partilhar, na Maria Granel, encontra-se imensas coisas deliciosas com a vantagem que só se compra as quantidades que se quer! 🙂

  5. Olá! Excelentes dicas 🙂 uso óleo de côco para tudo, para hidratar corpo e rosto e também para fazer oil pulling. Tem imensos benefícios. Há também quem coloque no cabelo.
    Também quero experimentar fazer pasta de dentes caseira. Já tenho a receita 🙂
    Já experimentaste fazer algum pão em casa com farinha de arroz?
    Obrigada
    Beijinho

Responder a Vânia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.