Já tenho vindo a escrever, aqui no blog, sobre a descida do consumismo aqui para estes lados. Se por um lado sinto cada vez menos necessidade de comprar coisas, por outro sei que o caminho está em consumir com mais consciência. Esta época de saldos é boa mas é perigosa porque na maior parte dos casos, compram-se coisas que na realidade não nos fazem falta nem gostamos assim tanto. Os preços são tão baixos que somos levados a acreditar que o negócio é bom. Por este motivo é bom fazer-se uma lista de coisas que na realidade fazem falta, para não nos perdermos em mil coisas que só vão ocupar espaço.
Nos últimos dias decidi mimar aqui a pessoa que às vezes se esquece dela mesma, durante demasiado tempo. Hoje vou mostrar-vos as últimas coisas que vieram cá parar a casa, e das quais gosto muito!
Este candeeiro bonito que vêem em cima, trouxe da área por cerca de 20€. Ainda não temos candeeiros de tecto em todas as divisões porque vemos sempre mais do mesmo ou coisas que adoramos mas que são caríssimas. É material em falta cá em casa e por isso não perdi a cabeça. Como tem duas camadas desta trama bonita, a luz também deve ser simpática, temos mesmo de o meter no tecto para confirmar :p

Estes sapatinhos lindos são dos que mais gosto. Posso ter montes de pares por ali à disposição, mas acabo por usar sempre os mais simples e confortáveis. Estes vieram da Zara, são de pele e, por já ter comprado lá uns semelhantes, sei que vão durar muito tempo e vão fazer muitos passeios.

A época dos livros começou antes das férias, o último que comprei foi mesmo este “Primo Basílio” do Eça de Queirós, e antes que comecem a bocejar desse lado, adianto que é dos livros mais engraçados que já li. A curiosidade sobre esta história já vem do tempo do secundário, e por isso soube bem comprá-lo e dedicar-lhe finalmente algum tempo. Ainda por cima a edição é bonita e o preço de 8€ muito simpático. Posso adiantar-vos que a história anda à volta da Luisinha, que se enrola ali com o primo Basílio, apesar de ser casada e de ter de manter as aparências. Uma novela portuguesa portanto, perfeita para se ler no verão.

Por último, mais um jogo de tabuleiro para a coleção, e para animar as férias de verão que se aproximam. Os serões costumam ser sempre longos, e entre conversas, noites ao luar e cocktails, distraímo-nos com jogos e este vai ser um dos que vai na mala este ano. Não foi em saldo, mas custou pouco mais de 20€. Na verdade as edições dos jogos de tabuleiro vão sendo mais baratas, muito se deve à menor qualidade dos materiais. Confesso que fico triste quando vejo caixas redesenhadas que já nada têm que ver com as edições antigas e que são mais feias e frágeis.

E por aí, a ida aos saldos rendeu? 🙂
Sei que muitos de vocês estão de férias e por isso espero que para esses as idas à praia, ao rio ou à piscina estejam a ser muitas! Muita inveja deste lado, mas saudável! 😉

Raquel

6 respostas

    1. resulta e começa a ser mesmo um hábito. depois até se fica assim com um sentimento de culpa de cada vez que compramos qualquer coisa que não faz falta :p

      beijinhos Sofia!*

    1. O livro comprei na livraria Porto Editora, mesmo ao lado da Alma Viva, no Túnel de Ceuta.
      Se não estiver pertinho de ti podes sempre pesquisar por esta edição que é da Bertrand 😉
      beijinhos!

Responder a Carina Oliveira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.